.


15 de junho de 2009

>História sem graça

Lá pelos cafundós das matas, o mendigo conhecido como sinhô torresmo, baixinho, barrigudo, barbudo, e fedido de dar dó, pedia de porta em porta.
- Tum, tum, tum, oh dona Maria, sou eu mesmo torresmo! Tem um lanchinho e um pouco de café pra mim?
- Ara! Tem sim torresmo, se achegue ai...

O tempo passava, e seu torresmo gordo como ele só enquanto Lurdinha e Maria se arrebentavam de trabalhar para sustentar sua filharada levada da breca...
Um dia, a Lurdinha teve uma idéia: - Oh Maria, meu pai deu um saco de arroz com casca! Ocê me ajuda com um saco de feijão e nóis, resorvemo de vez o pobrema do seu torresmo. Nóis dá tudo prele. Ta feito, vamo faze isso.
No dia seguinte Torresmo apareceu e para sua surpresa ganhou um saco de arroz e outro de feijão.
- Ah, dona, mas não quero!
E puf caiu durinho!
Foi uma gritaria e um corre-corre danado que só vendo... Socorro! socorro seu Torresmo morreu!
Ajeitaram-no em um caixão com vela, e tudo que tem direito...
No caminho do cemitério, Seu Torresmo, murmura:
- Que é isso?
- Você morreu. Responde Lurdinha.
- Eu, o que? Morri? Ai, ai, ai e de que?
- Você morreu de susto, com os sacos de arroz e feijão.
- Aquele arroz com casca? Interroga Torresmo.
- É, diz Lurdinha!
- E você tira a casca para mim? Indaga o defunto.
- Eu não, seu folgado! Responde Lurdinha já sem paciência
- Então segue o enterro...
- Acorda homem, eu tiro a casca...Exclama Maria.
- Mas, você tira a casca pra mim? Depois cozinha...
- Nãããão Torresmo deixa de ser folgado! Só tiro a casca home
- Então segue o enterro...
O padre encomendou o corpo, por que alma não tinha mesmo. Jogou água benta no Torresmo, mandou fechar o caixão. O defunto grita:
- NÃO! Espera aí, eu fico com o arroz e o feijão. Por esses dias eu tenho mesmo que comprar mais uma casa, já está até alugada...

Histórias que o povo conta...


(Será que não temos algum ilustre político TORRESMO?).

6 comentários:

  1. É nesse país de espertinhos, tem muita gente com cara de coitadinho vivendo às custas da boa vontade alheia, como seu personagem torresmo, sem contar os "espertalhões politiqueiros" que nem fingem nada... rsrsrs

    beijos, adora voce...

    ResponderExcluir
  2. Histórias que o povo conta...e se o povo fala....é sempre verdade.
    beijosssssssssssss
    Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  3. Dizem que "o povo aumenta mas não inventa". Ou ainda: "a voz do povo é a voz de Deus".
    Já soube de histórias de mendigos que tem até conta no banco.
    Obrigada pela sua visita no meu blog Lua Branca. Tem mais um outro que gostaria que fosse o "Faceirice". É só clicar no link acima e à sua direita da telinha.
    Aguardo sua opinião.
    Bjs..

    ResponderExcluir
  4. Ola Garoto!

    Hum,de esperto e sabio todo o diabo tem um pouco.

    Beijinhos mil
    Rachel

    ResponderExcluir
  5. E como tem politico torresmo! Infelizmente muitos de nós quando chegar outubro de 2010... escolher de que lado mesmo? Eis a questão!

    ResponderExcluir
  6. Adorei me deparar com esta história aqui. Sempre a ouvia do meu pai e, coincidentemente, outro dia mesmo, a contei aos meus meninos. Ah, essa nossa doce mineirice!!! Abraços.

    ResponderExcluir

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog.

Este espaço presa pelo respeito às diversidades, porém, se mantém o direito de não publicar opiniões que venham a ofender a honra de qualquer pessoa.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O blog, Serra de Minas, poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...