.


21 de dezembro de 2012

>Casa de Gonzaga

Imagens/J Araújo


Que diversas que são, Marília, as horas,
Que passo na masmorra imunda e feia,
Dessas horas felizes, já passadas
Na tua pátria Aldeia!


Marilia de Dirceu
Lira XXI verso I
Tomaz Antonio Gonzaga


16 de dezembro de 2012

>A velha figueira

Imagem/J Araújo
Essa velha figueira que antes vivia rodeada de muito verde, na verdade, era a única que  destacava no pasto que existia ao seu redor. No local vacas e bois pastavam e, depois de saciar a fome descansavam em sua sombra, mas  nem tudo nessa vida dura para sempre,  um dia, o progresso chegou, onde era pasto ontem hoje é  um grande Shopping Center, antes em sua sombra onde  deitavam vacas, hoje são  os carros que estacionam.

Antes os cipós que abraçavam seus galhos deram lugar aos fios e cabos elétricos. Hoje  a mesma é abraçada por esses fios para que o local a noite possa ser iluminado, antes as marcas que ficavam era dos ruminantes, hoje as marcas que ficam são dos carros possantes que repousam em sua sombra. Fico imaginando, se aquela figueira pudesse se manifestar o que diria de toda essa transformação que fizeram ao seu redor, ainda bem que deixaram a mesma viver mesmo que sufocada em respeito à lei que a protege.

 Hoje, vive solitária, tendo como companhia um monstro de concreto bem a sua frente dia e noite. Os pássaros que alimentavam de seus frutos com a chegada do empreendimento fugiram para outras paragens até que o homem consiga um dia também chegar lá. Enquanto isso a velha figueira continua solitária mesmo que centenas de pessoas passem por ela todos os dias sem ao menos conhecer sua verdadeira historia.  
Compare as duas fotos
Voltei para visitar a velha figueira, moro bem perto, sofreu com a chuva de granizo que castigou a pobre coitada em uma tarde de muito calor. Suas folhas frondosas foram derrubadas e cobriram a sua volta, deixando as pessoa que passavam curiosa, é como se a mesma estivesse despida em pleno estacionamento do shopping.
(a) J Araújo 

7 de dezembro de 2012

>Revolta dos marimbondos

Você já ouviu falar em marimbondo cavalo? “Tidos como inimigos devido as suas ferroadas doloridas e combatidos com fogo e inseticidas, os marimbondos também tem seu lado bom”. São predadores de vários insetos nocivos como cupins, aranhas, formigas, gafanhotos e mosquitos, entre eles o Aedes aegypti  transmissor da dengue.

Então, é bastante útil preserva-los, mas quando a população desse bicho aumenta muito é necessário fazer o controle para que não se torne perigosa à convivência  Ao contrario das abelhas, não deixam o ferrão no lugar da picada. Os efeitos locais e sistêmicos do veneno são semelhantes aos das abelhas, porém menos intensos, e podem necessitar esquemas terapêuticos idênticos".

Assim como as pessoas, os seres vivos também têm seu dia de revolta e os marimbondos não são diferentes.  Quando incomodados ‘vira o bicho’ e atacam ao se sentirem ameaçados. Uma amiga nossa, de trabalho, resolveu fazer uma incursão, eu disse incursão e não excursão, para inspecionar um vazamento de água que existia no terreno onde existem várias repartições públicas, e os encanamentos externos está em péssimas condições.

Ao passar em baixo de um pé de goiaba foi repreendida energicamente pela colônia de marimbondo que resolveram construir a casa naquela arvore. Inclusive, esse tipo de marimbondo gosta muito dessa fruta quando madura.  Ao saber da história, contada pela própria vitima, e do jeito que era contada, não sabia se dizia: que pena! 


Ou se dava risada, acabei fazendo as duas coisas. Quando mostrou a quantidade de picadas que havia levado, juro que no momento fiquei com dó. O braço esquerdo da mesma estava com manchas vermelhas enormes devido às picadas que havia levado.


Em relação ao ser humano, os marimbondos, as abelhas e outros tantos insetos são seres minúsculos, porém, isso não significa que esses insetos vão se intimidar com o tamanho das pessoas, muitas vezes não, sempre que alguém cruza seu caminho, os bichinhos as colocam pra correr, e olha se não te ‘mandar’ para um hospital.


Ela disse que estava caminhando entre as arvores e de repente, sem perceber, esbarrou em uma casa de marimbondos que não deixaram barato a tal invasão e, partiram para o ataque. E nessa conversa despretensiosa soube mais, não era um marimbondo qualquer não, era o famoso “marimbondo cavalo”, uma espécie que não tem muitos em sua moradia, mas sua picada é bastante dolorida.


O que me chamou a atenção, como eu disse no inicio do texto é o tamanho das machas vermelhas na pele, se não fosse marcas do ferrão deixadas, eu diria que está mais pra coice de burro do que picada de marimbondo cavalo. Mas como ela é uma excelente pessoa estou com pena ‘da chefe’.

(a) J Araújo

1 de dezembro de 2012

>Fotos das serras de minas = Araponga - MG

Pico do Matipozinho, 1.830mts
Linha de ônibus que faz o transporte de passageiros da região dos Estouros, passando pela Vila Estevão de Araújo até o Pico do Boné, não sem antes passar por várias comunidades rurais. Essa linha de ônibus parte todos os dias de segunda a sexta-feira, as 07:00 da manhã do Pico do Boné e as 08:00 da Lage do Estouro, na Comunidade dos Paulas, retornando de Araponga as 14:00 horas.
Grupo Escolar
Prefeitura Municipal
Igreja do Distrito Estevão de Araújo 
Distrito de Estevão de Araújo - MG

Igreja em dia de missa
Praça em frente a Igreja , mostrada (abaixo) Rua Irmãos Araújo.
Rua Irmãos Araújo no Distrito que fica a uma distancia de 10 km de Araponga
Casa da Cultura em Araponga
Pedra redonda no caminho para o Distrito de Estevão de Araújo
Visão da região do Estouros do vista do alto da serra de Araponga
 Pico do Boné avistado da região do Estouros
Cachoeira na região do Estouros, sitio de Geraldo Batista



Aqui sede da Antiga Fazenda do Brigadeiro
Veja um vídeo

(a) J Araújo

16 de novembro de 2012

>Araponga = O povo e sua cultura




Imagens: J Araújo
O município de Araponga, uma das principais portas de entrada para o Parque Estadual Serra do Brigadeiro, localizado na Zona da Mata Mineira, cujo Território Rural da Serra abrange os municípios de Sericita, Pedra Bonita, Divino, Fervedouro, Muriaé, Rosário de Limeira e Ervália. A maioria desses municípios tem sua economia baseada na cafeicultura, sendo essa a principal fonte de renda da maior parte da população.

É uma das maiores regiões produtoras de café arábica, (bebida fina) do estado. Também é uma das regiões com um grande potencial turístico. Principalmente, o turismo ecológico que está sendo divulgado e implementado com o projeto boas práticas para o Turismo de Base Comunitária”, que propõe para os municípios participantes a valorização de seu potencial natural e de seu povo através de sua cultura, mostrada através histórias e causos abrangendo o modo de fazer e saberes da região.

Licor de café
Visitei a Casa da Cultura em Araponga, onde fui recebido pelo Jurandir, um dos descendentes dos Índios Puris que habitavam a região. É uma das pessoas que procura de todas as formas manterem viva nossas raízes através dos costumes locais. Podemos ainda adquirir no local o artesanato feito da casca de café onde está sendo desenvolvidas novas técnicas de produção, ainda tem o licor de café, produto artesanal de excelente qualidade.

E foi através desse projeto que hoje na região envoltória do parque tem várias opções de pousadas nas sedes dos sítios e fazendas onde aqueles que não conhecem como funciona a vida no campo podem participar ativamente de todas as atividades convivendo com pessoas  simples do campo que através de suas atividades agrícolas participam do desenvolvimento do município oferecendo seus produtos e gerando riqueza para o Brasil que muitos preferem, ou esquecem de conhecer.

Àqueles que tiveram a brilhante ideia de colocar em prática o Turismo de Base Comunitária nossos parabéns. Esperamos que o próximo prefeito eleito que toma posse em 1º de janeiro, dê o apoio necessário ao referido projeto. Não moro mais na região, mas sou filho dessa terra que me viu crescer. Por tudo isso, no mínimo, uma vez ao ano retorno a minha terra natal.
Texto: J Araújo

Baseado em informações do "Catálogo de Produtos do Turismo Comunitário"

6 de novembro de 2012

Curiosidade

A casa e seu puxadinho

Com o mineiro não tem miséria não, isso vale para a moradia quanto para o estomago. No tocante a moradia, o mineiro sonha em construir uma bela casa na roça com todo o conforto da cidade, geralmente constroem a mesma com quatro quartos, uma cozinha enorme, sala de visita, sala de jantar e dispensa. Essa é onde guarda a maioria dos “trem”, porque o mineiro não tem coisas, mas sim um monte de trem. 

cozinha principal
Passado algum tempo ele olha e fica pensando o que poderia ser feito para melhor a casa e resolve logo fazer um puxadinho para servir de cozinha, aquela que foi construída acoplada a casa no projeto original  a partir daí se torna um local para ser apreciado de longe. Acredito que  o local passa a ser apenas um caminho de passagem em direção aos quartos. Trabalha duro, levanta cedo, trata das galinhas no terreno e parte pra a lavoura.  

Mas, nada lhe falta,  sua alegria é ver a família feliz. Estou dizendo isso, por que a casa  acima do meu irmão  é um belo exemplo. Já vi outros piores, depois de construir o famoso puxadinho para servir de cozinha constroem um segundo. Curioso mesmo sendo um autentico mineiro se aquilo não seria uma maneira de gastar o dinheiro que estaria sobrando, o mesmo respondeu com um  sorriso malicioso.
J. Araújo

3 de novembro de 2012

Trem de passageiros entre Belo Horizonte e Vitória

Viaduto 
Sai de ferias depois de alguns anos trabalhado e resolvi por conta própria fazer um roteiro à minha maneira. Eu e minha esposa partimos de carro de Campinas, SP, com destino a Belo Horizonte e de lá para Vitória, ES, no único trem de turismo da que sai diariamente da capital mineira rumo a Vitoria onde embarcamos alugamos um táxi até Guarapari.  

Vagão classe executiva
O trem em questão é operado pela  Companhia Vale através da estrada de ferro Vitoria a Minas (EFVM) que tem 905 km de extensão e é uma das mais modernas e produtivas ferrovias do Brasil. E foi através dela que conheci as mais belas paisagens. A viagem até Vitória tem uma duração de aproximadamente 13 horas. Para o turista é uma excelente oportunidade para curtir o passeio com toda comodidade.

Praia do Morro, Guarapari
O trem é confortável e serve também como meio de transporte para centenas de pessoas como ligação entre as várias cidades mineiras e capixabas em seu trajeto. Em seu interior funciona restaurante, lanchonete, sala de leitura onde se pode ligar notebook e recarregar as baterias de telefones e outros eletroeletrônicos. Quem não conhece, vale a pena conhecer.
Sala de jantar

De volta para Belo Horizonte, embarcamos no Aeroporto de Vitória em voo direto para Confins em BH onde pernoitamos. De volta em terra firme fomos com destino a Congonhas, uma cidade histórica do estado de Minas Gerais, onde, acompanhado de um guia turístico, visitamos as famosas obras de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.
Igreja Bom Jesus, Congonhas
Almoçamos e partimos para outra cidade histórica mineira, Ouro Preto, acomodados em uma pousada próxima a Praça Tiradentes, era hora de lavar a alma e sair à noite para assistir uma dança típica da região, a congada.  Logo em seguida fomos procurar uma excelente pizzaria para matar a fome e boa parte da noite. Também precisávamos descansar, afinal de contas o outro dia prometia, tinha muita coisa para ser vistas e visitadas, o que foi feito.

Praça Tiradentes, Ouro Preto

Se não bastasse, o destino final era meu recanto, onde nasci, nas montanhas distantes a 280 km de Ouro Preto, passando por belíssimas paisagens através da BR-262, onde em vários trechos podemos ver vestígios da antiga Estrada Real. No km 34, em Acaiaca, parada obrigatória no bar e restaurante “Fogão a Lenha”, onde a comida é tipicamente caseira feita no fogão à lenha como o próprio nome sugere.
Município de Araponga MG, 

Chegando ao destino final era hora de cumprimentar e abraçar os irmãos e amigos que um dia ali deixei ha muitos anos. Foi dali que parti em busca de novos horizontes, porém, a saudade quando bate é o momento de fazer o caminho de volta e rever todo aquele chão que um dia meus pés pisaram descalços percorrendo as mais altas pedras que hoje olho e tenho a sensação de continuar com a alma de uma criança mesmo sendo um velho com a consciência de ter sido uma feliz criança, que mesmo não tendo possuído os brinquedos da moda tinhas as cachoeiras e riachos a minha disposição.

15 de outubro de 2012

>Dando uma pausa

A partir de hoje estarei dando uma pausa nos blogs para um descanso. Assim que eu puder voltarei!

Agradeço a compreensão dos leitores.

12 de outubro de 2012

>Casal de Formigas

Formiga é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, está situado na Região Sudeste do Brasil e na região centro-oeste do Estado. E a história do município, com referencia ao surgimento do nome, é um pouco confusa, porém, reza a lenda que a origem do nome deriva de um censo comum entre os tropeiros, os quais, durante o ciclo do açúcar, carregavam seus imensos fardos  do produto e, para descansar pousavam sempre às margens do rio que hoje corta a cidade. 

Certa vez, um dos carregamentos foi atacado por correições de formigas (vídeo) e os tropeiros tiveram um enorme prejuízo. A partir de então, para conhecimento de outros que por ali pernoitassem, o local ficou denominado de Rio das Formigas, para que os viajantes que por ali pousavam tomassem precauções contra os possíveis ataques dos insetos. Como podemos ver, aqui começa a surgir o inicio daquilo que seria mais uma cidade brasileira. Isso mostra que todos os nomes, na maioria das vezes tem uma história as vezes curiosa e engraçada.

E isso rende outras boas histórias. E assim fiquei sabendo que dois casais de  amigos  resolveram aproveitar as ferias e viajar juntos. Um dos casais morava em uma cidade do estado de São Paulo, enquanto o outro casal era exatamente da cidade mineira de Formiga - MG. Ficou acertado que o casal mineiro chegaria primeiro ao hotel, na verdade um lindo e luxuoso Resort, enquanto o casal paulista, por motivos de compromissos, chegaria um dia depois.

Quando o casal paulista chegou no referido Resort, o amigo estava ansioso para o encontro. As mulheres não se conheciam, os únicos que tinham contato era os dois amigos. Chegando na portaria, o amigo paulista foi logo perguntando na recepção para a simpática atendente se ali naquele hotel tinha um casal de formigas, o que foi negado de imediato. A moça respondeu que naquele ambiente não existia tal inseto, que o casal poderia se hospedar e ficar tranquilo, que todos os ambientes, apartamentos e suítes ali eram dedetizados, no minimo, a cada seis meses.

O casal paulista insistia que naquele lugar tinha um casal de formigas, só não sabia em que suíte se encontrava. Era seus amigos e havia marcado um encontro naquele lugar. Diante da insistência, e cada vez entendendo menos a situação, a recepcionista chamou o gerente do lugar que depois de uma boa conversa foi desfeito o mal entendido, até porque o mesmo era um autentico formiguense. percebeu que o casal paulista, na verdade, se referia a um homem e uma mulher da cidade mineira. O respeitoso gerente foi um dos muitos mineiros que um dia em busca de se realizar profissionalmente resolveu deixar sua formiga para prosperar como gerente geral de um belo Resort, o mesmo sempre zelava para que o local fosse considerado de alto padrão, não aceitava que  insetos nenhum invadisse seu hotel, formiga menos ainda.
(a) J Araújo

5 de outubro de 2012

>Eu, o tempo e a saudade

Imagem J Araújo
Não quero ficar somente lamentando o tempo perdido. Estou cada dia procurando o caminho que me leva a Deus. Elevando meus pensamentos, tenho saudade da infância, das brincadeiras, da inocência que tinha quando criança. O tempo passa mas não esquecemos o que todos nós fomos um dia . Mas tudo isso já ficou  em um passado muito distante, porém tenho vivo na memoria o passado de ontem como se fosse hoje.  Rebuscando lá no fundo do baú  a gente sente que tudo foi realidade revestida de sonhos.

A saudade é como uma ferida mal cicatrizada, de vez em quando ainda dói ,uma  noite essa tal saudade sem aviso,  silenciosa bateu em minha porta onde o vento zumbia como anunciando um outro dia tristonho, recebi a saudade e ficamos relembrando os momentos mais importantes da minha vida que passava como em um filme produzido em preto e branco. Cenas arquivadas  deixou meu coração palpitando  alegremente em alguns momentos.

Para minha surpresa, hoje, meu coração dizia que a saudade é também parte dos sentimentos que nos conduz aos lugares  ou pessoas que um dia já fizeram parte da nossa jornada. Espero com ansiedade a chegada de uma nova primavera onde as flores com seus coloridos que enfeitam os caminhos por onde passo, sem no deixar de ter saudade.

Quando chega a primavera liberto-me das noites frias do inverno que chega ao fim. Prometendo retornar no próximo ano. Minha saudade no entanto não tem tempo certo de voltar, a qualquer momento pode bater a porta do meu coração que insiste em deixa-la entrar. A saudade tem a chave e sabe como ninguém penetrar nas entranhas da alma produzindo a sensação de que tudo não passa de miragem, com isso, não quero  ignorar o passado,  mas   deliciar cada minuto do  presente mesmo com saudade.

24 de setembro de 2012

>Aventura nas montanhas


Hoje resolvi fazer uma mudança no visual do blog.   E procurando em meu arquivo fotográfico achei relembrei que a foto que ilustra o mesmo me trás uma boa recordação, lembro-me do dia em que juntos com meu irmão e mais três sobrinhos resolvemos  escalar essa montanha vista ao fundo.

Foram 7 horas de caminhada, abrindo trilhas com facão, escalando montanhas menores como mostrado no roteiro que tentei traçar para que o leitor possa ter uma ideia do trajeto que fizemos para alcançar o topo dessa gigantesca montanha, que mede da sua base até o cume 1.860 metros.

As bromélias e orquídeas enfeitam o local
Foi uma aventura inesquecível  pois, desde há muitos anos pensava em um dia ganhar aquele topo, o que eu não tinha feito até aquela data mesmo tendo nascido onde está demarcado como ponto de partida. Depois que mudei daquele região passei a vê-la com outros olhos.


Para que o leitor possa ter uma ideia: Esse é topo da montanha e estes de costa na (foto 1), é meu irmão de boné vermelho, seu filho, (sentado) de camisa azul e outros dois sobrinhos filhos de outra irmã. Ah, podemos ver um cão que nos fez companhia o tempo todo, não é atoa que a espécime é considerada o melhor amigo do homem, estou em pé sem boné. A foto ao lado, é a visão que temos lá do alto. É como se estivéssemos sobrevoando a região. Infelizmente nos últimos anos, a região sofreu vários incêndios que destruiu centenas de hectares de florestas, colocando em risco as várias especies de fauna e flora que tenta resistir a destruição por uma minoria sem nenhuma consciência para com a natureza que tenta  de todas as formas se recompor por  milagre. (O topo é da mesma foto que ilustra o blog)

25 de agosto de 2012

Vaca atolada.

Imagem: Veja Abril

Quando falamos em vaca atolada, a primeira imagem que nos vem na mente é uma dessas vacas malhadas, leiteiras com grandes tetas. O gado, esses criados soltos, na época da seca sai à procura de alimento fresco e acaba atolando nos brejos.  Sem poder se movimentar, depois de muito esforço para sair, muitos deles acabam morrendo se não for encontrado a tempo.

Conta a historia que isso aconteceu em Minas Gerais. Um sitiante tinha vários animais, todos sadios por sinal. Um dia uma dessas vacas atolou em um brejal e acabou morrendo o dono, não teve dúvida, reuniu vários homens da vizinhança e com o esforço de cada um retirou a malhada do atoleiro. E para comemorar, repartiu a carne entre os participantes. Ele, como dono, ficou com a maior parte naturalmente, separou as costelas e preparou com mandioca cozida para servir aqueles que tinham ajudado na empreitada. Daí surge o prato vaca atolada, nesse caso na mandioca.

Prato originário de Minas Gerais consiste em mandioca bem cozida, temperada a base de alho, sal, pimenta malagueta, cebolinha e salsa, onde se atola pedaços de costela bovina frita. Deixa cozinhar por mais tempo até os sabores se misturarem. Daí o nome vaca atolada, ou seja, costela de vaca atolada na mandioca. E daí vem a origem do prato "vaca atolada". 

Estivemos reunidos no salão de festas da Igreja Batista Memorial, no bairro jardim Nilópolis, para saborearmos esse prato típico das gerais. Antes, tivemos a palavra do pastor Rubens, (um corintiano roxo) que agradeceu a presença de todos, naquele evento, preparado com exclusividade para os homens.  Em seguida passou a palavra para o Dr. Euclides que após proferir algumas palavras, convidou o pastor Emerson que trouxe aos presentes uma palavra de reflexão sobre o pecado.




Dr. Zitti, (foto) foi um grande pesquisador, mineiro da gema, uma figura conhecida de toda Campinas, ajudou implantar nos anos setenta a FCM (Faculdade de Ciências Médicas) da Unicamp, (Universidade Estadual de Campinas). Para alegria dos presentes, fez um breve histórico de sua vida e dos brinquedos na época de sua infância. Na abertura, com muito bom humor disse ter conhecido Matusalém, sim, aquele personagem bíblico.

Bom, pra que não sabe, Matusalém é conhecido por ser o personagem mais longevo de toda a Bíblia, tendo vivido por 969 anos, sendo que o ano de sua morte coincidiria com a ocasião do dilúvio, embora isto não seja mencionado expressamente pela Bíblia.

Conheci pessoas maravilhosas, seria impossível citar o nome de cada um aqui, mas dentre elas os mineiros Ênio e Inácio, (até parece nome de dupla sertaneja) foram com quem mais troquei ideias. Quero deixar registradas minha amizade e gratidão a toda comunidade da Igreja Batista Memorial, e parabenizar os organizadores do encontro que foi um sucesso. Que a comunidade possa continuar crescendo cada vez mais. Esse povo de Deus que busca sempre se confraternizar reunindo pessoas que estejam necessitando de uma palavra amiga através da evangelização em nome de Jesus. (visualizar fotos)




(a) J Araújo
PageRank

21 de agosto de 2012

>Frango com Ora-Pro-Nobis

Tem um ditado popular, e até uma canção, que diz que “Oi Minas Gerais, quem te conhece não te esquece jamais, oi minas gerais...”. Acredito que pode ser estendido também para a culinária que é rica em sabores, daqueles de "dar água na boca" de quem olha. Não se espante com a colocação, já está provado pela ciência, primeiro, "comemos" com os olhos depois provamos o tempero.

Tem pratos, que é "endêmico", vamos dizer assim, só existe em Minas Gerais, e um deles, Ora-Pro-Nobis, ou labobó, como também é conhecido, como são desconhecidos para a maioria dos outros estados.  Nas 'minas gerais' é um prato típico, bem caipira mesmo.

Vou deixar de fazer rodeio e logo contando. Eu, como um típico caipira mineiro, deparei aqui na cidade com um pé não, achei logo uma cerca viva dessa iguaria, (ela é ótima para esse fim, suas hastes são espinhentas) e fui logo fazendo uma boa colheita.

Fotos: J Araújo
Mas, sabe por que ele existe aonde eu colhi! O bairro, na verdade, mais parece uma colônia de mineiros, aí está a explicação pela existência do mesmo. Quando cheguei em minha casa, preparei o típico prato no jantar do ultimo sábado, para matar saudade da terrinha e claro, deliciar o sabor de minas mesmo longe.

Labobó, ou Ora-pro-nobis. Em bom latim quer dizer: “orai por nós”. A expressão acabou dando nome ao vegetal também chamado “carne do pobre”, por seu alto teor de proteína. 

Conta-se uma que o nome surgiu quando catadores invadiram o quintal nos fundos de uma igreja à noite enquanto o padre rezava a missa e dizia: em latim, ora-pro-nobis! E os fieis repetiam.

Enquanto isso, os invasores faziam a festa em busca da iguaria. Há dez anos existe o  "Festival de Ora-pro-Nobis", na cidade de Sabará-MG, na região metropolitana de Belo Horizonte que atrai centenas de turistas. Veja abaixo o resultado de minha aventura na cozinha. O acompanhamento foi arroz, feijão e o famoso angu mineiro.
                                               Receita

1 Quilo de cocha e sobre-cocha cortados e temperados ( preferencia frango caipira)
1/4 de xícara de azeite
1 Tablete de caldo de galinha(preferencia caipira)
2 Dentes de alho picados em pedaços
2 Cebolas cortadas em pedaços pequenos
Suco de 1/2 limão pequeno para tirar a baba
Alguma pitadas de molho inglês
Sal a gosto



                         Também pode substituir o frango pela costelinha suína.
                                                         Modo de preparo

  • Junte em uma panela, o suco de 1/2 limão e os pedaços de frango
  • Mexa em fogo médio até que o frango comece a dourar (opcional)
  • Acrescente os dentes de alho picados e mexa por alguns minutos
  • Apos dourar levemente (opcional) os pedaços de frango, retire o excesso de gordura da panela
  • Acrescente as cebolas, misturando os pedaços de frango
  • Junte algumas pitadas de molho inglês e o caldo de galinha e 1 xícara de água quente
  • Acrescente água quente, aos poucos, em pequenas quantidades, até que o frango cozinhe (assim o caldo ficará mais grosso e saboroso)
  • Prove o caldo e acrescente sal, caso julgue necessário
  • Após o frango cozido, espalhe as folha de ora-pro nobis por cima do frango, sem mexer ou misturar, de maneira, a cobrir o caldo de folhas. (Pode também ser picada ou rasgada como couve)
  • Tampe bem a panela e deixe cozinhar em fogo baixo por mais ou menos 10 minutos
  • Sirva com arroz branco, feijão e angu 
  • Bom apetite!

(a) J Araújo

PageRank

13 de agosto de 2012

>Turismo

A estrada de ferro Vitoria a Minas (EFVM) tem 905 km de extensão e é uma das mais modernas e produtivas ferrovias do Brasil.

São 2 trens de passageiros circulando diariamente  o único que circula diariamente no Brasil e liga duas importantes capitais brasileiras: Vitoria - ES e Belo Horizonte - MG.
 
Em funcionamento desde 1907, o serviço incentiva o turismo e transporta cerca de um milhão de passageiros por ano com segurança e conforto. O trajeto percorre regiões de belas paisagens e importância histórica, passando por cidades coloniais às margens do Rio Piracicaba e Rio Doce, em Minas Gerais, até chegar às praias do Espírito Santo. A viagem de 664 km dura aproximadamente 13 horas.
Trem sobre a ponte
Um trem parte de Vitória às 7 horas da manhã e chega a Belo Horizonte por volta de 19 horas e 40 minutos. O outro trem parte de Belo Horizonte às 7 horas e 30 minutos e chega a Vitória as 20 e 10 minutos.

O trem conta com 3 vagões-restaurantes, 32 carros na classe econômica e 10 na classe executiva. Na  executiva tem ar condicionado e serviço de bordo.
Croqui da rota do trem Vitória Minas
Imagem J Araújo
O preço da passagem de Belo Horizonte para Vitória na classe executiva custava R$ 82,00* já na classe econômica R$ 54,00* cada passagem, (preço de maio de 2012).

As passagens devem ser adquiridas diretamente nas estações de trem e a venda dos bilhetes pode ser feita até com 30 dias de antecedência. As passagens costumam esgotar rapidamente, principalmente nos finais de semana e feriados

*Os preços  citados acima estão atualizados, de acordo com a Vale,  podem sofrer reajuste anual.
Os interessados em obter mais informações podem entrar em contato pelo telefone: 0800 285 7000.

Fonte: turismoevariedade e Vale

5 de agosto de 2012

>A importância do professor

Estava eu estacionado em uma determinada rua aguardando meu filho, quando do outro lado, ouvi o som que saia de uma caixa onde o narrador dizia que havia feito uma ampla “pesquisa” para saber a importância do professor na vida de cada um de nós, mas principalmente nas profissões escolhidas.

Imagina o comerciante, se não tivesse frequentado a escola. Como ele poderia tocar o seu negocio, fazer cálculos. Dividir lucros, prejuízos e ainda por cima planejar como seu estabelecimento poderá gerar empregos para aqueles que queiram trabalhar, e claro, como ele, também deve ter estudado e, para isso tiveram a ajuda de algum professor.

E o raciocínio dele era mais ou menos esse: se não fosse o professor, não tínhamos os médicos para se formar é preciso primeiro passar por vários professores; e a partir daí estão aptos a salvar vidas. O engenheiro responsável por grandes obras no mínimo passaram pelas escolas, e faculdades, e naturalmente pelos ensinamentos dos professores.

O dentista, que deixa o sorriso das pessoas que os procura bem mais bonito, tratando seus dentes. Imaginam vocês quantas horas de aula teve que frequentar para que chegasse a esse ponto. Com certeza, esses profissionais tiveram o auxilio de professores. Por aí podemos ver a importância do professor nas profissões escolhidas.


Um importante conferencista estava dando uma palestra sobre a importância do professor em nossas vidas e enumerou e ilustrou essa importância. Imagina, para se chegar a Presidência da República o quanto o candidato teve de estudar! Como ele estava falado para um auditório lotado, alguém levantou e disse: Pois é, mas tivemos um presidente que não frequentou nenhuma escola, nem falar direito ele sabia! O palestrante se recompôs por alguns segundos e respondeu: é verdade, o senhor tem toda razão, acho que exagerei na minha pesquisa!

22 de julho de 2012

>Marcou demais


Mais uma bela Blogagem Coletiva do Café entre Amigos
Nessa vou postar o que mais me marcou, tem muitas mas
vou deixar algumas aqui!



Na verdade, estou sempre atrasado na blogagem coletiva, mas os temas até agora escolhidos pela Patrícia, do blog,  Café entre Amigos,  é sempre instigantes, e não tem como ficar de fora.  Realmente existem coisas que nos marcam para toda vida, e algumas delas até que podemos contar.  Pra mim, o que...
                                    
                                       Marcou muito foi...
Meu primeiro beijo. Aquele marcou pra caramba, morava no sitio, estava na sala da casa da minha tia, sentado ao lado da primeira namorada ela, na época, era a moça mais bonita do lugar. Eu sortudo era o namorado dela, (kkkk) quando de repente ela me deu um beijo. Acho que por eu ser tímido foi ela tomou a iniciativa, melhor pra mim. Aquele momento foi mágico.

                                      Marcou também...
Nunca havia faltado da escola, minha mãe, mesmo sendo analfabeta queria que todos os filhos estudassem.  Saí pra ir à escola e voltei do caminho, quando minha mãe viu ficou furiosa, já queria logo me castigar – porque naquela época, tanto pais como professores eram verdadeiras autoridades. Mas, quando viu o motivo da volta... Meu nariz havia começado a sangrar. Foi logo cuidar de mim. Hoje hein!!


web
                                 Marcou muito...                                               
Gostava de gato e papagaio, tinha os dois. O papagaio falava. O gato obvio só olhava. Uma noite o gato resolveu lanchar o papagaio, não por falta de comida, até porque morávamos na roça. Passei a partir daquele dia não ter muita simpatia por gatos. Hoje em dia convivo com os mesmo com desconfiança, um pé atrás como dizem...

                                Marcou demais...
Meus pais queriam que eu fosse padre, principalmente, minha mãe era aquela católica fervorosa fazia de tudo. Era a maior honra ter um  filho padre na família.  Eu jovem naquela época, até o dia que deixei a vida pacata das montanhas depois de alguns anos para e vir realizar o grande sonho da minha vida....


Para desespero dela minha fui ser policial de elite. Quando fui lhe dar a notícia, que havia passado no concurso e logo mais ia começar os treinamentos, quase matei a mesma do coração. Ela estava certa, mesmo depois de vários ferimentos consegui sair vivo daquela batalha em que entrei. Vi amigos tombar na defesa da sociedade e hoje são esquecidos, não pelos seus familiares. Acho que foi a unica vez que desobedeci minha mãe. Acho não, tenho absoluta certeza que não seria um bom padre. Não seria eu um exemplo para os fieis, então foi melhor não ter me aventurado na carreira da igreja católica. Enquanto isso poderia ser um ótimo policial e fiz de tudo para ser o melhor e valeu a pena!!

                                                                                   Também marcou...

Arquivo pessoal
Ainda com referencia à minha mãe, a maior tristeza foi quando ela faleceu, sua perda foi uma das maiores de toda a minha vida. Durante quatro anos não consegui viajar para onde nasci e cresci. Não suportava ver a casa vazia. A casa ainda existe hoje, nela mora uma sobrinha, eu não consigo entrar lá. E olha que já fez 12 anos.
web

                            Marcou demais...

A primeira vez que fui a uma cidade grande dei um susto danado nos adultos com havia que havia ido juntos. Mesmo sem nunca ter ido a uma cidade saí e fui ‘bater perna', é assim que os mineiros falam.  Fui explorar ruas e avenidas. Quando voltei estavam todos preocupados.
                             Marcou muito...
O ultimo foi conviver com uma pessoa que tive o prazer de conhecer  e tive também o desprazer de ver seu filho destruir sua vida.  Serviu para que eu pudesse ver o quanto frágil ou arrogante podem ser as pessoas. Como um filho, pode trazer alegria a mãe, assim como pode ser ao contrario, e trazer grandes tristezas e frustrações ao interferir na felicidade da mesma. Foi uma grande decepção e lição pra mim.



(a) J Araújo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...